Arquivo mensal: março 2016

Prova de Física do Técnico de Nível Integrado do CEFET-MG de 2015 corrigida!

Prova de Física do Técnico de Nível Integrado do CEFET-MG de 2015 corrigida pelo professor Fábio Silva! Para conferi-la, clique aqui.

 

Fontes

Prova: http://www.copeve.cefetmg.br/galerias/arquivos_download/2015_1-prova-Integrado.pdf

Gabarito: http://www.copeve.cefetmg.br/galerias/arquivos_download/2015_1-Gabarito_Integrado.pdf

Anúncios

Feliz Páscoa, ou melhor, Happy Easter!!!

por George Dias

É praticamente impossível não pensar em chocolate essa semana com tantos ovos de páscoa em todas prateleiras de supermercado! Mas essa semana também é marcada pelo fim de promessas, pelo fim da quaresma e, para os mais estafados, tempo de descanso com a família no Feriado.

‘Aah Páscoa!’ Não menos esperada que o Natal, é o final de um tempo de reflexão sobre nossos atos e para aproveitar uma união mais carinhosa e “doce” com a família!

Mas, você alguma vez, sequer, imaginou como seria a Páscoa em outro País?! Convido vocês a conhecer a comemoração da Páscoa nos Estados Unidos e na Inglaterra, Países de língua Inglesa e que são historicamente “coirmãos”.

Vamos começar pelas comemorações da Terra do Tio Sam!

Estados Unidos

12776344-happy-easter-text-above-a-rabbit-painting-easter-egg-with-american-flag-stock-vector

A Páscoa é conhecida nos Estados Unidos como ‘Easter’. Geralmente, é comemorada no mesmo dia que no Brasil, ou em dia muito próximo. É uma festa bem semelhante a festa brasileira, além da data comum, é usual a troca de presentes de chocolate ou de ovos de chocolate (mas os ovos não menos frequentes). Além de reunir toda a família para aproveitar aquele almoço juntinho e o gostinho doce na boca, os Americanos realizam paradas e desfiles. As Igrejas mantém-se abertas todo o tempo afim de comemorarem o sentido da Páscoa, como Ressurreição de Jesus Cristo. Essas mesmas instituições realizam as chamadas “Easter Egg Hunt”, a grande diversão para a criançada no domingo de Páscoa, quando acordam cedo e saem correndo para começar a caça aos ovos, que geralmente são cozidos e decorados.

easter-egg-hunt

Assim como no Halloween e no Natal, as casas são decoradas com coelhinhos de pelúcia, imagens de coelhos e ovos no quintal, mantendo um feriado divertido, agradável, charmoso, delicioso e humm… Encantador!

Agora, vamos encontrar o coelho na Terra da Rainha.

Inglaterra

pernalonga-rei-75-anos-esquadrao-lunatico

Assim como nos Estados Unidos, a Páscoa na Inglaterra inicia-se na Good Friday (sexta-feira santa). Os Ingleses porém, comemoram mais tempo que os americanos e que nós brasileiros. É comum que comemorem após o Domingo, a Easter Monday (segunda-feira de páscoa), um day-off a mais para todos os Ingleses, e como tradição, eles também realizam a  “Easter Egg Hunts”. Essa tradição é uma ótima diversão para todos!

É comum vermos gente fantasiada de coelhos gigantes, carregando saquinhos de ovos, simbolizando a fertilidade. Também é comum a realização de banquetes regados a carne vermelha. A maioria desses banquetes são realizados em prol de pessoas carentes! Além de serem tradicionais divertidos, mantém um toque caridoso! Como não Apaixonar!?

Pascoa_inglaterra

Além de adoçar a vida, vimos que a Páscoa sempre é divertida, tradicional e muito amorosa! Que tal aproveitarmos a nossa para incentivar a solidariedade, a união e valorizar seus pontos reflexivos? E, claro, podemos deixar essa Páscoa mais doce para todos – no sentido gastronômico e solidário!

Happy Easter Everybody!

Happy

Professora Luiza Silveira

Aulas de Português, Redação e Literatura para alunos do ensinos fundamental, médio e superior.

* Ensino fundamental e médio no Colégio Espanhol Santa Maria Cidade Nova (2010);
* Graduanda em Letras – Espanhol, com ênfase em Estudos Literários (UFMG);
* Intercâmbio acadêmico em Barcelona – 2013, 2014 (Universitat Autònoma de Barcelona);
* Experiência com aulas particulares desde 2011.

Interessados em agendar uma aula, entrar em contato comigo pelo número (31) 99998-7491(Vivo e What’sApp), pelo e-mail luizass93@hotmail.com, ou pelo perfil do Facebook www.fb.com/luizaluliae.

Ondas Gravitacionais: O assunto do momento

Por Dener Lisboa

Muito se falou da detecção das ondas gravitacionais previstas na Teoria Geral da Relatividade de Albert Einstein, aquele físico famoso da linguinha pra fora. Se pra você a única coisa que entendeu foi a foto, acompanhe a postagem e vamos entender juntos o que isso tudo significa!

Seria a língua de Einstein de tamanho proporcional a sua inteligência?

TEORIA GERAL DA RELATIVIDADE E AS ONDAS GRAVITACIONAIS

A Teoria Geral da Relatividade (vamos chamar de TGR) foi proposta por Albert Einstein em 1915 e é um assunto extremamente complexo, principalmente pelo fato de se tratar de uma teoria, ou seja, algo que ainda não foi comprovado. Portanto, as coisas dessa teoria são um tanto quanto malucas para nós acostumados com o que acontece no nosso cotidiano. Num resumo bem resumido, a Teoria Geral da Relatividade afirma que a matéria (que também é energia) curva o espaço e o tempo a sua volta. É como se a sua existência mudasse o tempo e o espaço a sua volta, mesmo que de forma extremamente irrisória. Se sentiu importante né?

Baseado nisso, Einstein englobou em sua teoria a ideia de ondas gravitacionais. Se a matéria curva o espaço-tempo (para a TGR espaço e tempo são a mesma coisa), logo existiria algo para realizar isso. Nesse caso, seriam as ondas gravitacionais. A gravidade existe em qualquer objeto com massa. Isso mesmo, você possui uma gravidade também, ok? Mas, para objetos com massas muito pequenas, esse efeito não pode ser percebido. Porém, para objetos com massas muito grandes, como a Terra entre outros objetos espaciais, a gravidade possui uma dimensão suficiente para atrair outros objetos para seu centro. Por isso você está sentado na cadeira lendo essa matéria agora ou em pé no ônibus sem estar flutuando por aí.

Como seria a onda gravitacional?

Mesmo a gravidade sendo sentida por nós e sabendo da existência dela, nunca de fato pode-se perceber a existência das ondas gravitacionais. Porém, no dia 11 de fevereiro de 2016, pesquisadores do projeto Ligo (Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory, em tradução literal, Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser) anunciaram a primeira detecção de ondas gravitacionais. Mas, como isso foi feito?

Recapitulando, as ondas gravitacionais podem modificar a estrutura do espaço-tempo, certo? Com base nisso, criaram um instrumento capaz de detectar tais alterações. Trata-se do Ligo. Ele é composto de interferômetros, que são conjuntos de espelhos e filtros de luz desviando feixes de laser até um detector. As ondas gravitacionais são percebidas por meio de fracas vibrações que causam no espaço-tempo, fazendo os espelhos oscilarem. Como os componentes de cada interferômetro estão afastados por mais de 4 km de distância, uma irrisória vibração nos espelhos faz a frequência do laser se desalinhar, revelando a ação de ondas gravitacionais sobre esses objetos.

“Ain, professor, mas e as vibrações naturais do solo?”. Calma. O Ligo é construído com um complexo e sofisticado sistema de pêndulos que absorvem tais vibrações. Inclusive, um brasileiro, o físico Odylio Aguiar do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), participou do projeto de tais amortecedores. Tá achando que BR não manja das paradas loucas não? 😀

“Tá, mas e se mesmo assim tiver um ruído?” Para evitar que o ruído fosse dado como um sinal, foram construídos dois interferômetros desses bem afastados um do outro. Um em Louisiana e o outro em Washington nos EUA. Assim, os cientistas sabiam que se ambos sofressem as mesmas alterações num mesmo intervalo de tempo, dificilmente isso poderia ser atribuído a um ruído.

Imagens dos dois LIGO. O primeiro está em Louisiana (Livingston) e o segundo em Washington (Hanford)

Bom, sabemos como o evento foi detectado. Mas da onde ele surgiu? Vamos recapitular algumas coisas para entendermos melhor. Para Einstein, a gravidade não se trata exatamente de uma força, mas sim de uma deformação no espaço-tempo, como dito anteriormente. Podemos comparar o universo com uma mesa sem tampa com um pano preso nas extremidades por cima. Quando se coloca pequenas bolinhas de gude nesse pano, o pano se curva, segurando essa bolinha. Quanto maior a massa da bolinha, mais o pano se curvará. Nossa bola de boliche sobre esse pano chamado universo foi nada mais que a colisão de dois buracos negros!

Apresento a vocês o universo!

Um buraco negro possui massa extremamente grande e, portanto, uma gravidade tão poderosa que não permite nem a passagem de luz. No caso dos buracos negros que colidiram eles possuíam de 29 a 36 vezes a massa do nosso Sol (o Sol possui cerca de 1,98 x 10^30 kg). A energia gerada a partir de tal colisão foi absurdamente grande, fazendo com que as ondas gravitacionais ficassem em maior evidência. Uma coisa curiosa é que esse evento ocorreu há muito tempo atrás. Faz tanto tempo que Einstein elaborou sua teoria muito depois do evento ter ocorrido. Estima-se que a colisão do sistema binário de buracos negros ocorreu há cerca de 1,3 bilhão de anos-luz da Terra. Ano-luz é uma medida de distância que equivale a distância que a luz percorre durante um ano. As ondas demoraram cerca de 1,3 bilhão de anos para chegarem até a Terra a uma distância absurda de 1,3 x 10^23 km de distância!

Em 14 de setembro de 2015, às 6 horas e aproximadamente 51 minutos da manhã (horário de Brasília), os observatórios LIGO detectaram quase simultaneamente um sinal de ondas gravitacionais de duração 0.2 segundos. A frente de onda chegou primeiro em Louisiana e 7.3 milissegundos depois em Washington. A chance de haver algum engano é de uma parte em 5 milhões. Portanto, é quase certo que as conclusões estejam corretas.

Em termos de avanços tecnológicos, a detecção de ondas gravitacionais ajuda na compreensão do universo. É mais uma forma de “ouvirmos” o que o universo diz e, consequentemente, termos mais respostas sobre eventos que acontecem nele, inclusive na Terra.